Precisa de ajuda para negociar com um franqueado que está querendo sair da rede ou criando problemas?

Se isso te tranquiliza, você não está sozinho(a)! Nós do BOG estamos nessa nessa área há mais de 25 anos e ainda não conhecemos um contrato em que o relacionamento tenha tamanho peso no sucesso – ou insucesso – do negócio como o de franchising.

E os motivos que culminam esse conflito são variados, como: inadimplência no pagamento dos royalties; loja desabastecida; franqueado não comparece aos treinamentos ou atende às consultorias de campo; acreditam que tem fornecedor com melhor preço e mesma qualidade; pagam a escola dos filhos e o carro novo com faturamento da loja e depois dizem que não sobra dinheiro para colocar no bolso; não valoriza os treinamentos e por aí vai..

Além, é claro, da tão conhecida reclamação sobre o ponto do estabelecimento.

Mas, vale lembrar que isso não significa que franchising é um mau negócio ou representa um grande problema. Isso é apenas um fato e uma escolha, assim como ser um empreendedor ou empregado, prestar serviços ou vender produtos, ler ou maratonar Netflix e assim por diante..

E para você conseguir cessar todo esse conflito e viver em paz nessa relação que precisa ser de ganha x ganha, existem dois passos fundamentais e que precisam ser dados, confira:

– Reconhecer, de fato, que o tema do relacionamento é relevante;

– Entender quais ferramentas você vai utilizar para lidar com a rede de franqueados e levar em consideração os recursos humanos e materiais.

E é nesse ponto que a assessoria jurídica entra, pois está dentro de recursos humanos e pode auxiliar o conflito por não ter envolvimento emocional e, assim, trazer à consciência do franqueado (e do franqueador, claro) os riscos e caminhos possíveis. Além de dar treinamento a equipe do franqueador, com temas diversos, como por exemplo: como minimizar riscos através de documentação e comunicação adequada.

Entretanto, não se engane quando falamos que o advogado pode ajudar por não ter envolvimento emocional. Isso não significa falta de humanização ou de consciência. Muito pelo contrário, destaca sua responsabilidade de atuar como facilitador do fim (ou recomeço) da história, diante de seu confortável papel de observador. Tanto que, quando nos deparamos com casos assim, a primeira pergunta que fazemos é: o que dizem os outros franqueados sobre este mesmo tema?

As histórias no mundo do franchising têm um elemento maravilhoso para dar uma luz sobre o problema: a foto da rede, simples! Aliás, costumamos dizer que Direito é apenas 50% conhecimento técnico e o restante é bom senso!  Você só não pode contar isso para ninguém, hein?! Porque se todo mundo souber, ficamos sem serviço rs 😉.

Brincadeiras à parte, acreditamos tanto nisso que nosso propósito é simplificar ao máximo todas as consultas e serviços que prestamos, para que o empresário entenda com tranquilidade todas as circunstâncias do caso e tenha uma boa experiência até quando estiver em meio a um conflito.

Um Direito Empresarial simples e eficiente, essa é nossa busca diária!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *